AMPLIE SEUS NEGÓCIOS
Setor de tintas é discreto, mas tem força e cresce em importância na nossa economia

Presentes em quase tudo que olhamos e usamos, as tintas são uma força discreta, mas que se vê, e os aditivos minerais têm íntima relação com essa força

 

Um setor que se vê por todo lado, mas que não se percebe a força que tem. Assim pode ser definida a indústria de tintas. Mas antes de se levante qualquer tipo de discussão ou debate, vamos explicar o título e a frase que abre este texto.

 

O Setor de tintas

 

Há tintas por todos os lados: ela está, de alguma forma, em tudo o que vemos, em paredes, carros, eletrodomésticos, na base das cores dos diversos tipos de device (computador, celular, notebook, tablet etc.) que você está usando para ler este texto, enfim, em tudo há adição de tinta ou ela é usada para melhorar a estabilidade, dar beleza, durabilidade, resistência etc. Não se percebe a força exatamente por isso, é um segmento, de certa forma, discreto, mas com números impressionantes.

 

Segundo a Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas (Abrafati), principal entidade que representa a cadeia produtiva de tintas, reunindo fabricantes e seus fornecedores, o Brasil é um dos cinco maiores mercados mundiais para tintas. Em 2018, a produção do setor foi de 1,548 bilhão de litros, o que representou crescimento de 0,84% em relação a 2017.

 

Desse montante, 82,7% foram tintas imobiliárias (pintura de casas, por exemplo), bem distante disso, vieram, em seguida, as tintas para repintura automotiva (4,1%), para indústria em geral eletrodomésticos, móveis, autopeças, naval, aeronáutica, tintas de manutenção etc. (4,1%), e tintas automotivas, destinadas a montadoras (2,5%). A tendência é de crescimento, pois, de acordo com a Abrafati, para 2019, a expectativa é de alta de 2% a 3% comparando-se com o ano passado.

 

A História das tintas

 

Como a gente sempre faz em nossos textos, vamos a um pouco de história e curiosidades. A origem das tintas é tão antiga quanto a do próprio homem, ainda na pré-história.

 

Muito famosas, as artes rupestres (pinturas de imagens e símbolos na rocha, nas cavernas) e que mostravam o cotidiano desses povos. As tintas, à época eram retiradas de plantas e argila em pó, com adição de água – a cor vinha dessas plantas. Para se chegar ao efeito que se queira, eram preparadas com as próprias mãos ou prensadas com pedras.

 

Vale lembrar que nossos índios, muito antes do descobrimento do Brasil, também já se pintavam e usavam tintas vindas de plantas como tabatinga, pau-brasil, urucum, jenipapo e tatajuba, entre outras.

 

As tintas também serviam para decorar as cavernas, as tumbas e os corpos, em guerras ou na caça, por exemplo.

 

Há certa controvérsia sobre a invenção da tinta mais perto do que conhecemos e usamos hoje. Uns creditam aos chineses, outros, aos egípcios. Industrialmente falando, as tintas datam de antes da Idade Média e já tinham outras utilidades, muito mais que pintar os corpos.

 

Já, a Revolução Industrial, entre o final do século 18 e início do 19, marcou a expansão e a produção em larga escala, quando os fabricantes começaram a usar equipamentos mecânicos. O resto da história foi só de evolução constante para o segmento.

 

Aditivos para minerais para tintas

 

Aditivos minerais – Feito esse preâmbulo, onde entram os aditivos minerais? Até o começo do uso de aditivos pelo setor, o mercado de tintas, como muitos outros, vivia de produtos, quase sempre, de origens e efeitos que não eram muito bons à saúde e de resultados nem sempre eficazes. Claro, a evolução e o progresso na fabricação fizeram com que novos produtos fossem descobertos e usados na manufatura, manuseio, melhorias de qualidade, durabilidade, resistência e outras utilizações. Um deles – e com grandes vantagens – foi o aditivo mineral. Um círculo virtuoso que se mantém ainda hoje.

  

A grande variedade de produtos e suas inúmeras funções, bem como a questão da sustentabilidade e do bem à saúde, além do preço muito em conta, em comparação com outros aditivos sempre usados, faz com que as cargas mineiras (aditivos minerais) façam  parte de portfólios de empresas produtoras, tanto no processo de fabricação como no produto final. Natural, sem provocar problemas à saúde das pessoas. Como a Brasilminas sempre defende, os aditivos minerais são a natureza zelando pela natureza. Além disso, dão a qualidade que se espera do e ao produto.

 

Os aditivos minerais são usados pela totalidade ou maioria dos segmentos produtivos e não seria diferente para a indústria de tintas. Mas, como nos demais, é uma relação relativamente nova. Uma história e relação só de benefícios (sem contar o menor custo) que não ultrapassa muito mais que três décadas. São pouco mais de 30 anos com esses elementos, vindos exclusivamente da natureza, proporcionando alta performance nas formulações de tintas e revestimentos. Como os aditivos minerais estão em constante evolução, sempre são grandes suas possibilidades. Ou seja, os dois setores descobrem a cada dia como podem ajudar um ao outro.

 

Como está o mercado no Brasil?

 

Brasilminas é uma das principais fornecedoras de aditivos/cargas minerais do mercado. Produtos que proporcionam alta performance e redução de custos nas formulações de tintas e revestimentos. Entre os aditivos/cargas mineiras indicados para tintas mais comuns  estão o AgalmatolitoBaritaBentonitaCalcitaCarbonato de CálcioCaulimDiatomitaDióxido de TitânioDolomitaMicaÓxido de ZincoQuartzo e Talco, entre outros elementos. Essas são as matérias-primas mais ofertadas pelo mercado e que a Brasilminas conta em seu portfólio.

 

Esses produtos têm outra vantagem: não se encerram em si e viram um novo circulo produtivo de vantagens e possibilidades. Os aditivos minerais são também base para a criação de subprodutos naturais (ou mesmo sintéticos). Isso, graças aos mais diferentes processos de tratamento e beneficiamento que se dá a eles. Processo que a Brasilminas também domina, como britagem, peneiramento, moagem, classificação, aeroclassificação, mistura (blendas) e micronização. Um orgulho para a Brasilminas é sua relação com o setor de tintas. Obtivemos, na Pesquisa Qualidade para Fornecedor 2018, da revistas Tintas e Vernizes, novamente o reconhecimento do setor como a segunda empresa mais lembrada na categoria Cargas Minerais para o segmento.

 

Fonte: http://brasilminas.net/setor-de-tintas-e-discreto-mas-tem-forca-e-cresce-em-importancia-na-nossa-economia/